O alerta vem da Abinc, que salienta a importância da segurança na tecnologia do parque operacional.

Uma das grandes preocupações dos gestores de manufatura é expor a empresa a riscos de segurança ao abrir a rede e dados para a Internet, o que pode provocar acidentes graves devido ao mau funcionamento, ou mesmo paralisação do parque industrial automatizado, e também possibilitar vazamento de dados de produção para a concorrência, por exemplo.

Por isso, a implementação da Internet das Coisas na indústria de manufatura deve sempre ser feita de forma segura. Isso é o que alerta Paulo Pagliusi, coordenador do Comitê de Segurança da Associação Brasileira da Internet das Coisas (Abinc), que interage fortemente sobre as principais questões de risco da Indústria 4.0.

Para Paulo, é primordial que as empresas invistam em cibersegurança (cybersecurity, no termo em inglês) na tecnologia do parque operacional das manufaturas. A integração de sistemas digitais e mecanizados via automação industrial é cada vez mais comum, aumentando a superfície sujeita a um ataque cibernético.

“Proteger tais ambientes é fundamental, pois são altamente valiosos, sensíveis e precisam fazer parte das estratégias de governança de risco corporativa”, destaca Pagliusi. O coordenar ainda salienta que proteger bem o ambiente industrial de Internet das Coisas contra riscos de vazamentos, paralisações, mau funcionamento e brechas de segurança pode representar um grande diferencial de cada negócio.

Por isso, a proteção de dados e dos ambientes digitais operacionais é um tema de crescente preocupação na Indústria 4.0. “Ao lidar com ambientes e informações digitais de maneira correta e segura, alertas sobre invasões, brechas de segurança e vazamentos podem ser emitidos de forma rápida, para que seja possível rastrear a origem do problema e solucioná-lo a tempo de prevenir as piores consequências”, conclui Pagliusi.

A conexão da Internet das Coisas (IoT) dentro desta nova realidade possibilita criar produtos com diferentes funções e aplicabilidades, conectados sob a mesma rede. Essa é uma nova tendência que está sendo adotada pelas corporações mundo afora para sair na frente do seu mercado.

Fonte: Primeira Página com informações da Abinc.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui